Chocante: a época bizarra dos Zoológicos Humanos!

Parece mentira, mas não é! Zoológicos humanos já existiram e eram comuns no século XIX e no começo do século XX, tendo mais de 1 bilhão de pessoas que assistiram aos espetáculos exóticos realizados naquela época. E não faz muito tempo que eles deixaram de existir, há 56 anos atrás, em 1958, foi realizada em Bruxelas uma das últimas atrações desse tipo, com o espetáculo chamado de “vilarejo congolês”, que foi fechado devido às críticas na época.

Um dos exemplos bizarros de Zoológicos Humanos é o do “Jardin d’Agronomie Tropicale” localizada em Paris, onde eram realizadas diversas exposições humanas.


O Jardin d’Agronomie Tropicale contava com a exposição de várias “réplicas de territórios franceses”, como Madagascar, Indochina, Sudão, Congo, Tunísia e Marrocos. Onde – para começar a piorar a história – essas exposições contavam com habitantes humanos reais – aqueles tirados diretamente dos lugares que as réplicas foram criadas para representar.

Mas essa barbaridade não acontecia apenas em Paris, humanos eram expostos – em feiras, circos e zoológicos – por serem considerados “exóticos, selvagens ou monstruosos” em vários lugares do mundo durante séculos!  Nesse período, se desenvolveram noções sobre a raça e o conceito de hierarquia racial, com teses de que os africanos seriam o elo que faltava entre o macaco e os homens brancos ocidentais, ou o “homem normal”, como consideravam os cientistas.

Dentre as várias “atrações” feitas em países exploradores, uma bem marcante foi a chegada de alguns índios tupinambá, do Brasil, que “desfilaram”, em 1550, para o rei Henrique 2º em Rouen, na França.







Londres, também apresentou uma exposição de índios brasileiros Botocudos em 1817, e era considerada “capital dos espetáculos étnicos”, seguida pela França, Alemanha e Estados Unidos. Vale lembrar que nessa época pessoas com deformações físicas e mentais também serviam de atração para as cortes europeias.

A descoberta dos zoológicos humanos nos permitiu entender melhor por que certos pensamentos racistas ainda existem na nossa sociedade. É difícil acreditar, mas o bisavô de Christian Karembeu – ex-jogador da seleção francesa – foi exibido em uma jaula como canibal em 1931.






O apogeu dessas exibições ocorreu entre 1890 e os anos 1940. Depois disso, os “shows étnicos” deixaram de existir por razões diversas: falta de interesse do público, surgimento do cinema e desejo das potências de excluir o “selvagem” da propaganda de colonização.

Fonte: [ Mundo Pocket ]
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »