Veja o que aconteceria se o Sol deixasse de existir por apenas um segundo


Se a luz do sol parasse de brilhar por um segundo, não seria nada grave: teríamos um breve momento de escuridão, não muito diferente de um eclipse, e depois voltaríamos ao normal. Mas caso o Sol parasse de existir por mais de alguns segundos, bem, aí a coisa seria bem mais séria.

A órbita dos objetos em nosso sistema solar – incluindo todos os planetas – é o resultado de uma constante aceleração em direção ao Sol, sob a influência da gravidade dele. A Terra, por exemplo, orbita o Sol numa velocidade média de 30 km/s; isso depende da distância entre eles, já que a órbita não é circular, e sim elíptica.

Se o sol parasse de existir por um segundo, cessaria o efeito gravitacional que ele exerce nos objetos do sistema solar. Assim, em vez de continuarem a acelerar numa trajetória circular, esses objetos iniciariam uma trajetória em linha reta numa velocidade constante.


Isso pode não parecer grande coisa, mas cada planeta, cometa, asteroide e grão de poeira em órbita no sistema solar iria se mover de forma independente, e suas trajetórias mudariam depois que o Sol voltasse.

Alguns objetos viajariam mais perto de outros, e outros ficariam mais longe. Isso resultaria em uma órbita instável para muitos deles: um ligeiro aumento da gravidade entre eles poderia lhes dar um leve empurrão, talvez ejetando-os do sistema solar ao longo do tempo, ou puxando-os para a órbita de outros objetos e planetas.

Em uma escala maior, a remoção do Sol também retiraria seu campo magnético protetor de todo o nosso sistema solar. Este campo, conhecido como heliosheath – a camada exterior da heliosfera – nos protege de uma grande quantidade de radiação e partículas que vêm de fora de nosso sistema solar, desviando-os para longe de nós.


Ao remover a heliosheath durante um segundo, toda essa radiação entraria em nosso sistema solar. Mesmo à velocidade da luz, ela não chegaria longe: afinal, a luz do Sol leva cerca de 8 minutos para chegar até nós, e os limites da nossa heliosfera parecem estar a uma distância cerca de 84 vezes maior. Mas uma vez restaurado, o campo magnético do Sol seria muito menos capaz de desviar com segurança toda essa radiação, que poderia chegar até nós.

A radiação criaria algumas auroras muito interessantes na atmosfera, e a interação com o campo magnético da Terra poderia causar problemas para satélites em órbita e redes elétricas terrestres, assim como quando ocorrem as erupções solares.

Para além disso, eu não tenho certeza, mas acho que seria uma experiência interessante de se viver.

Via: Gizmodo
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »