30 coisas que você não sabia sobre Castelo Rá-Tim-Bum

Conheça algumas coisas sobre a Atração infantil que fez bastante sucesso na década de 90:

1. A produção do Castelo Rá-Tim-Bum envolveu 250 profissionais.

2. A Biblioteca do Castelo tinha o equivalente a 6 mil livros.

3. Três mil deles foram doados pela extinta editora Círculo do Livro.


4. As doações foram “desmembradas”: cada livro virava dois ou três pelas mãos da equipe de cenografia.


5. Além destes, a equipe ainda produziu peças de isopor revestidas de tecido para completar o volume.




O pessoal da cenografia montando a Biblioteca

6. A ideia inicial era que o personagem da Caipora fosse um Curupira.


7. Mudaram de ideia porque seria muito difícil usar os pés invertidos em cena.


8. Uma das primeiras reuniões com os quatro protagonistas do Castelo aconteceu no cenário do Tíbio e Perônio.


9. Quando o ator Wagner Bello — o Etevaldo — morreu, ainda faltava gravar um episódio do programa.


10. A atriz Siomara Schroder era amiga dele e entrou no último episódio como a alienígena Etcetera, irmã do Etevaldo.


11. O episódio terminava com uma explicação sobre a ausência do Etê: “ele está brincando nas estrelas”. <3




Penelope, Nino e Caipora (sem peruca!) — ou Ângela Dip, Cássio Scapin, Patrícia Gasppar e Claudio Chakmati durante intervalo das gravações

12. Para o livro animado de poesias, foram criadas 14 animações para obras de autores como Cecília Meireles, Manuel Bandeira e Paulo Leminski.


13. Cinthya Rachel estava na lanchonete da Cultura quando foi convidada pelo diretor do Castelo para fazer um teste como a Biba.


14. Cinthya já trabalhava em outro programa da casa, “O Professor”.


15. O diretor de “O Professor” proibiu Cinthya de tentar o papel, mas ela fez o teste escondida. E passou.




16. Inspirada em lava-rápidos de carros e nos joguinhos Aquaplay, a máquina lava-louças que ficava atrás da pia da cozinha não limpava os pratos de verdade.

17. Só um prato, falso, ia e voltava no aparelho.


18. O look do Pedro (Luciano Amaral) era uma mistura de skatista com o John, personagem da história de Peter Pan.


19.O figurinista não podia usar logotipos, por isso criou a estampa de caveira com olhos de estrela.


20. Uma das passarinhas do quadro Que Som É Este era Ciça Meirelles, mulher do cineasta Fernando Meirelles.




21. Lava-outrá-lava-umááá: o clipe Lavar as Mãos apareceu em 16 episódios do Castelo.

22. O personagem Zequinha originalmente seria o Juquinha, irmão mais novo de Lucas Silva e Silva na série “Perigo, Perigo, Perigo!”.


23. Como o ator que fazia o Juquinha estava muito grande para o papel, eles testaram outro ator.


24. Fredy Allan Galembeck tinha 9 anos quando ganhou o papel de Zeca, que tem 6 anos na história.


25. O ator Sergio Mamberti era aposta certa para viver o Tio Victor e não fez teste de elenco.




26. As inspirações para o visual do Tio Victor foram o Dr. Frankenstein (o criador, não a criatura!) e o pintor Salvador Dalí.

27. No início, a produção ficou em dúvida se o menino de 300 anos devia ser interpretado por um ator mirim ou um adulto.


28. O diretor Cao Hamburger se convenceu de chamar Cássio Scapin para a seleção quando viu o ator no teatro.


29. Nino é inspirado na personagem Nina, de “Rá-Tim-Bum” — aquela que conversava com a Boneca Careca.


30. O figurino do Nino é inspirado em uma típica roupa de inverno europeu do século 15, com calça e coletes.




Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »