10 coisas que você está fazendo errado com a sua pele

A pele é o órgão que envolve o corpo determinando seu limite com o meio externo, corresponde a 16% do peso corporal e exerce diversas funções. Confira 10 coisas que você provavelmente está fazendo errado com a sua pele

1. Usar suco de limão para limpar ou clarear a pele.


“Remédios naturais” viraram uma febre no Pinterest, e todos somos culpados por compartilhá-los. Mas tome cuidado, porque nem todos eles não funcionam nos diversos tipos de pele.

Um ingrediente que já deu muito pano para manga é o suco de limão. Apresentando um pH próximo a 2, frutas cítricas como o limão e a toranja podem prejudicar a sua pele, a curto e longo prazo.

Com sintomas imediatos incluindo queimaduras e irritações cutâneas, o limão resseca o seu rosto (dificultando a retenção de umidade) e pode quebrar o manto ácido da pele, que a protege contra bactérias.

O mesmo vale para o bicarbonato de sódio.

2. Esquecer de usar protetor solar.


De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (EUA), o melanoma, o tipo mais perigoso de câncer de pele, é um dos cânceres mais diagnosticados nos Estados Unidos. O uso diário de no mínimo FPS 15 pode reduzir suas chances de desenvolver câncer de pele em 40 a 50%. Embora as pessoas de pigmentação clara estejam sob maior risco, TODO MUNDO deve se proteger contra os raios UV.

Se tudo isso não é o bastante para lhe assustar, saiba que os danos solares lhe ENVELHECEM prematuramente.

A FDA (agência americana de regulação de alimentos e medicamentos) recomenda a quantidade efetiva de 2mg - o que significa que você provavelmente precisa de uma proteção solar adicional, em vez simplesmente confiar na quantidade existente em seu hidratante ou base.

3. Acumular um excesso de produtos novos de uma só vez.
Quem não gosta de sair comprando um monte de produtos de beleza? Porém, experimentar todos eles ao mesmo tempo é um exagero para a sua pele.

Curiosidade: os AHAs (alfa-hidroxiácidos como os ácidos lático e glicólico) desestabilizam os seus retinoides, tornando-os ineficazes. Portanto, aquela loção antienvelhecimento bem cara pode estar sendo desperdiçada se você a estiver combinando com muitos outros produtos para pele.

Além disso, erupções e reações alérgicas inesperadas podem resultar do uso indiscriminado de novas fórmulas. Por isso, experimente fazer testes localizados na pele para ver como ela reage a diferentes produtos.

4. Usar produtos de ponta só porque são de ponta.


Embora os produtos de ponta costumem estar associados a ótima qualidade, no caso de cuidado com a pele e maquiagem os resultados podem variar.

Especialistas da indústria cosmética afirmam que, na verdade, as marcas populares têm muito mais dinheiro para investir em pesquisa e desenvolvimento. Por isso, talvez você deva cogitar a troca do seu La Mer por algum óleo da Olay.

5. Comprar produtos “100% naturais” ou “orgânicos” sem conferir os ingredientes primeiro.


Os proponentes da “falácia do 100% natural” contestam a suposição de que qualquer coisa rotulada como natural, ou com ingredientes em sua forma bruta, é automaticamente boa para a pele.

No entanto, alguns produtos que incluem coisas “naturais” como coco ou karité fervem esses ingredientes a tal ponto que não resta muita coisa. Por outro lado, como já vimos com o problema do limão, as pessoas tendem a usar produtos em estado bruto que podem ser muito agressivos para a pele.

Além disso, lembre-se de sempre conferir os ingredientes. Mesmo as linhas caras e “naturais” de cuidado com a pele, como a Aesop, contêm sulfatos nocivos.

6. Evitar oleosidade na sua pele oleosa.


Em quantidades normais, o sebo, a substância que é secretada pelas glândulas sebáceas, é saudável para nutrir a pele. Mas uma superprodução de sebo deixa a pele oleosa, o que produz quantidades variadas de acne. Ainda que vá contra a intuição colocar óleo sobre óleo, na verdade há alguns benefícios por trás dessa ideia.

Num esforço para combater as espinhas, as pessoas tendem a ressecar demais a pele com ácidos e excesso de lavagens, o que só leva a pele a superproduzir oleosidade (até mais que o normal para uma pele oleosa) e a ficar desequilibrada. Alguns hidratantes podem ajudar a alcançar um equilíbrio.

Uma técnica, O Método de Limpeza Oleosa, chega a usar ingredientes como óleo mineral - a ciência por trás disso é que os óleos na verdade dissolvem outros óleos, num esforço para manter a pele limpa e hidratada. Pessoas com outros tipos de pele também podem explorar este processo.

7. Ignorar o seu tipo de pele.


É importante que você descubra qual é o seu tipo de pele, especialmente para saber qual produto usar ou evitar. Provavelmente não é uma boa ideia, por exemplo, usar fórmulas com ácido salicílico em peles secas, pois ele irrita a superfície já desidratada.

Se você não sabe ao certo qual o seu tipo de pele, pode consultar um esteticista, um dermatologista ou fazer um autoexame.

8. Usar o seu Clarisonic de maneira errada.


Em vez de usar esfoliantes ásperos com o aparelho, você deve usar produtos de limpeza suaves enquanto a escova cuida da esfoliação. Evite usar duas vezes ao dia (2 ou 3 vezes por semana provavelmente é o suficiente), porque a esfoliação pode ressecar e ferir a pele.

Se você perceber que a sua pele ficou reluzente demais, é porque ela está trabalhando em modo acelerado para se recuperar de ter sido despojada.

Por fim, mantenha o pincel limpo e evite pressionar o Clarisonic contra a pele - suas cerdas já geram pressão suficiente por si mesmas.

9. Escolher esfoliação física em vez de esfoliação química.


Por causa da falácia naturalista, o adjetivo “químico” pode ser uma coisa medonha de se ouvir. Mas só porque algo é “químico”, não significa que seja ruim.

Na verdade, os produtos químicos podem fazer a diferença para o rosto, pois são capazes de remover gentilmente a pele morta e a oleosidade, assim como uma esfoliação física, mas de um jeito muito mais suave.

Dependendo do seu tipo de pele, que também varia de pH, há uma variedade de esfoliações que usam alfa-hidroxiácidos (AHAs) e beta-hidroxiácidos (HABs) para remover de forma eficaz o lixo do seu rosto. Um tipo de peeling inclui ácido láctico, que é à base de leite, e que gentilmente ajuda aquelas pessoas com pele sensível ou iniciantes no tratamento. Mas não se esqueça: faça um teste primeiro!

Além disso, existem compressas de limpeza que também esfoliam a pele usando produtos químicos.

10. Esfoliação em excesso.


As pessoas tendem a esfregar seus rostos com produtos nocivos como o St. Apricot Scrub (as partículas irregulares causam microcortes na pele), que são ásperos demais. Embora ele passe uma “sensação” de que está funcionando, pode estar causando diversos danos.

Dependendo do seu tipo de pele, você pode ir do suave ao áspero com apenas uma toalha de rosto e outros produtos como um Clarisonic. No entanto, esfregar muito forte ou demais pode perturbar profundamente o equilíbrio da sua pele. Ressecar sua pele dessa maneira pode inclusive provocar uma sobreprodução de oleosidade, o que é uma má notícia em termos de acne.

Contudo, o restante do seu corpo pode resistir à pressão, pois a pele é mais grossa.

Fontes: [ Buzz Feed/Reddit/MakeupAlley ]
Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »