Com planos ambiciosos, primeiro veículo lunar chinês pousará neste sábado


Um módulo espacial que transporta o primeiro veículo lunar chinês tem previsão de pousar no satélite da Terra neste sábado, indicaram as autoridades, que descrevem a manobra como a mais importante da missão. 

A nave espacial alunizará 12 dias depois que a missão Chang'e-3 lançou o foguete Grande Marcha-3B da base de lançamentos de satélites de Xichang (sudoeste). 

O nome do veículo lunar é "Coelho de Jade" ou "Yutu" em chinês, uma referência à mitologia chinesa. Segundo a lenda, um coelho vive na Lua, onde tritura o elixir da imortalidade em suas crateras. O animal lendário tem a companhia de Chang'e, a deusa chinesa da Lua. 

Com a missão Chang'e-3, a China deve fazer seu primeiro pouso na Lua, como parte de um ambicioso programa marcado pelo sucesso de duas sondas lunares precedentes. As sondas Chang'e-1 (lançada em outubro de 2007) e Chang'e 2 (em outubro de 2010) permitiram, uma vez postas em órbita, fazer observações detalhadas da Lua. 

O programa espacial chinês é chefiado por militares. Além de garantir o status de grande potência, a China sonha em se tornar o primeiro país asiático a enviar um homem à Lua. 

O "Coelho de Jade", equipado com painéis solares para gerar sua energia, fará análises científicas e enviará para a Terra imagens tridimensionais de seu satélite natural. O veículo, com peso de 120 quilos, pousará na Baía dos Arco-íris, um território ainda inexplorado do satélite, informou a administração espacial chinesa. Esta região oferece condições favoráveis, tanto por sua exposição ao sol quanto pela comunicação com a Terra. 

O veículo lunar funcionará durante três meses e poderá se deslocar a uma velocidade máxima de 200 metros por hora. A conquista do espaço é percebida na China, que investe bilhões de dólares ao setor, como o símbolo do novo poder do país e das ambições do Partido Comunista (PCC) no poder. 

As autoridades têm planos ambiciosos, como criar uma estação espacial permanente em 2020 e eventualmente enviar um ser humano à Lua, mas sua tecnologia atualmente carece da precisão que Rússia e Estados Unidos têm. Ouyang Ziyuan, chefe do projeto de jipe lunar, declarou à Xinhua que as crenças antigas se baseavam nas marcas deixadas por impactos na paisagem lunar. 

"Há várias manchas negras na superfície da Lua, nossos povos antigos imaginaram que se tratava de um palácio lunar, de árvores e de um coelho de jade", disse. 

"Yutu é um símbolo de bondade, pureza e agilidade, e é idêntico ao jipe, tanto em atitude quanto em conotação", afirmou Li Bengzheng, vice-comandante em chefe do programa lunar chinês, segundo a agência oficial. 

"Yutu também reflete o uso pacífico do espaço pela China", acrescentou Li. 

Fontes: [ Terra/AstroNews ]
Autor:

Vinicius Delmondes



Artigo:

Data: 13/12/2013

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »